24 de abril
Dia de saida
La Rioja
Destino
Avançado
Nivel de dificuldade

Pedalando pelos parques mais espetaculares de La Rioja e San Juan, na Argentina. Vamos pedalar por um lugar único no mundo, onde a beleza do lugar e seu enorme valor arqueológico e paleontológico alcançaram o título “Patrimonio da Humanidade da Unesco”. De bicicleta vamos acessar parques incríveis, como os conhecidos “Ischigualasto” e “Talampaya”, bem como locais como o “Cañon del Ocre”, onde as paisagens e os tons receberão todos os aplausos. Uma maciça parede vermelha como uma cortina de fogo se interpõe imponente a frente de nossas bicicletas. A obra prima esculpida pela mãe natureza por milhões de anos lembra e muito as esculturas do mestre Gaudi. E como em Barcelona você vai pensar em voz alta: Nunca vi nada igual!

CIDADE SAIDA/CHEGADAEl Chiflon/ Chilecito
HORA DE SAIDA18hs em El Chiflon
SERVIÇOS INCLUIDOS
Van de apoio e transfers durante o percurso.
Traslado da mountain bike e 4×4 de apoio
Meia pensão (não incluida nos traslados de van. Jantar não incluido durante a viagem)
Sete noites de acomodação em hoteis e pousadas em base dupla e tripla
Assistência mecânica e bicicleta de reserva
Guia bilíngüe com equipamento de comunicação e guia local
Seguro de primeiros socorros
Entrada para o Parque “Ischigualasto” e o Parque “Talampaya”
Equipamento de cozinha e louça para picnics 
NÃO INCLUIDOS
Comidas não detalhadas no programa, refeições, bilhetes de avião e taxas de aeroporto, traslados não detalhados no programa, pecas de Bike, serviços de lavanderia e gastos pessoais
Aluguel da MTB

Informação adicional

Local
Duração8 dias
DataAbril, Maio, Setembro, Outubro

Travessia na região do Triássico, entre os parques “Ischigualasto”, “Talampaya”, Cuesta de Miranda e “Cañon del Ocre” em La Rioja e San Juan.

1

Dia 1:

Chegada ao Hotel Posta Pueblo “El Chiflón” localizado dentro do Parque Provincial “El Chiflón” em La Rioja após 15 horas de viagem. Aqueles que desejam podem ir e voltar de avião, usando o Aeroporto “La Rioja”. Para quem seguir de avião deve programar um transfer extra entre o aeroporto de La Rioja e Patquia ou “El Chiflón”
2

Dia 2: Ischigualasto - Rota Cênica 150

Este primeiro dia de atividades começa com curto transfer até o Parque Provincial “Ischigualasto”, também conhecido como “Valle de la Luna”, localizado na província de San Juan. Após nossa chegada ao parque montamos as bicicletas e iniciamos nossa pedalada de 40 km. O percurso ondulado segue em meio da paisagem que lembram um  deserto “lunar” . Com toda a riqueza geológica e paleontológica, o local foi declarado Parque Provincial e Patrimônio da Humanidade pela Unesco.  Ao longo do percurso vamos parar para ver vários de seus geoformas como “El Hongo”, “O submarino” ou “boccia tribunal” Além de visitar o museu “William Sill”, onde você pode ver fósseis e como o os paleontólogos trabalham com eles. No final do passeio, teremos a oportunidade de acessar o “Centro de Interpretação” e o museu do parque. Após o almoço, continuamos nossa rota ao longo da Rota 150 em direção a Huaco. Esta rota recentemente pavimentada é a ligação entre os Vales Sanjuaninos e a Cordilheira dos Andes e é conhecida como “a rota cênica”. Em 37 km de pedal, não apenas a paisagem se destaca com incontáveis ​​tons e cores, como também atravessamos doze pontes e seis túneis. Os primeiros quilômetros serão ondulados, até o quilômetro dezesseis, depois vinte quilômetros de paisagens únicas e muita descida até o ponto final da pedalada. Onde seguimos de transfer para o hotel “El Chiflón”.
Distância total 76km. Tipo de estrada: Terra e pavimento
3

Dia 3: Cânion de Talampaya

Após o café da manhã partimos no microônibus para o Parque Nacional “Talampaya”. Este parque foi criado em 1997 com o objetivo de preservar esta região de grande interesse, um sítio paleontológico de renome internacional e uma bacia geológica de origem triássica. Já no parque, faremos uma transfer dentro do parque rumo ao ponto de partida do passeio de bicicleta. Vamos pedalar dentro do “Talampaya Canyon”: é uma experiência única. A rota acontece dentro de um rio seco, que só leva água durante a estação chuvosa, em um percurso que nos obriga a escolher constantemente o melhor caminho possível. A principal atração, sem dúvida é a paisagem: As falésias de cento e vinte metros que nos rodeiam e as mais variadas geoformas que foram geradas após séculos de erosão. O experimento acústico que não falha é o eco: um grupo e uma tentativa de som nos levarão a ouvir várias repetições de nosso próprio som. Durante o passeio, veremos petroglifos criados por civilizações originais há mais de mil anos. Após o almoço faremos um trekking de aproximadamente duas horas na “Quebrada Don Eduardo” à tarde. Este passeio também segue por um rio seco, mas muito mais estreito que o usado para pedalar pela manhã. A caminhada nos permite acessar desfiladeiros entre falésias, arcos de pedra estradas e trilhas de animais para o ponto de vista a partir do qual a contemplar a parte menos conhecida das paredes de Talampaya. De volta  ao “Centro de Credenciamento” transfer para Villa Union.
Distância total 12km. Tipo de estrada: Terra. Logo 2hs de trekking
4

Dia 4: El Cardon e Aicuña

Saímos em nossa van desde  Villa Union . Após 46 km começamos nossa pedalada rumo a “El Cardón”. A estrada é sinuosa e ondulante, é povoada pelos cardones que dão nome à cidade e à medida que avançamos, as subidas vão ficando mais fortes. Uma vez lá, deixamos as bicicletas e começamos nossa caminhada de aproximadamente duas horas para chegar a Aicuña. Esta vila também na encosta das  “Sierras de Famatina” que tem uma característica especial: Quatro séculos de relativo isolamento e o com o casamento entre parentes, gerou a maior taxa de albinismo na Argentina. As construções em  Aicuña são em adobe é uma mistura de argila, areia, água e outros componentes naturais que é utilizado na confecção de tijolos crus. O pequeno povoado tem um povo é caloroso e hospitaleiro. Sua gastronomia típica também é atração a parte: Pão Criollo, queijo de cabra e doces caseiros estão sempre na mesa. Após o almoço, embarcaremos na descida de 9 km de Aicuña para a rota 40. Carregamos  as bicicletas na van seguimos para a Villa Union.
Distância total 23km. Tipo de estrada: Terra, logo 2hs de trekking
5

Dia 5: Anchumbil e Banda Florida

Partimos de bicicleta da Villa Union, com um pouco de subida tranquila nos primeiros oito quilômetros. Uma vez no “Anchumbil Canyon” começa o mais puro  ‘Mountain bike ! Em terreno acidentado, e percurso mais técnico desta etapa. Onde seguimos o curso de um cânion formado por séculos de erosão. Em alguns trechos poderemos empurrar a bicicleta. Mas o percurso é lindo! A erosão da chuva e do vento deixou cavernas e buracos em suas altas paredes coloridas. Uma vez fora do canyon, pedalaremos em trilhas até chegarmos novamente a uma trilha de cascalho que nos levará novamente à Villa Unión. Depois do almoço no Villa Union fazemos um tour de menor dificuldade que nos leva a “Banda Florida” e nos permite continuar desfrutando de paisagens em todos os tons de ocre até retornarmos.
Distância total 45km. Tipo de estrada: Terra.
6

Dia 6: Cuesta de Miranda

Pela manhã saímos em nossa van rumo ao majestoso “Cuesta de Miranda”. Após de trinta e três quilômetros, baixamos as bicicletas e iniciamos a subida, pelo asfalto,  de uma das mais belas estradas montanhosas da Argentina. Em 28 km e 575 metros de altimetria  chegamos a “Bordo atravesado” o ponto mais alto da encosta com 2040m.s.n.m. Lá começa uma bela descida de 30km com uma perda de mais de mil metros de altitude. La Cuesta de Miranda foi originalmente um caminho centenário  do qual o gado era levado da Serra de Sañogasta para a Serra de Famatina. Entre 1918 e 1928, o italiano Vicente Bolloli construiu a estrada sobre a qual passa a estrada asfaltada. As paisagens, a imensidão e a cor da natureza são notáveis. Carregamos as bikes no trailer e vamos para à pousada em Chilecito, onde ficaremos hospedados. Brinde para um dia espetacular de pedal. Distância total 56km. Tipo de estrada: Asfalto.
7

Dia 7: Canyon do Ocre

De Chilecito seguimos de van rumo ao norte, passando por Famatina. Depois de 40km chegamos a “Carrizal”, onde baixaremos as bicicletas do trailer e começaremos a pedalar em direção a um dos lugares mais impressionantes da travessia: “El cañon del ocre”. A estrada sinuosa nos permite aproximar-se da Famatina, com seus impressionantes 6097m.s.m. Por ali cresceu uma empresa de mineração dedicada à extração de ouro, que foi chamado de “La Mejicana”. O rio “El Dorado”, “Amarillo” ou “Ocre” deve a cor exatamente ao mineral ocre que vem das geleiras, neves e gelo da “Famatina”. O rio  “Limonita”  quando tem seu fluxo da água diminuído, a sedimentação do mesmo acontece provocando camadas com cores diferentes. Ocre tem sido usado como pigmento para pintura artística e pintura corporal desde a pré-história, e hoje é usado como pigmento natural para a produção de corantes e tintas.
A subida é constante e dificil, já que começamos em 1800m.s.m até chegar após 24km depois do canyon a 2700m.s.m. No decorrer da subida, passaremos por formações que apresentam incríveis quantidades de cores como “The Cribs”. Após o almoço, saímos da estrada e descemos 24 km até a “Carrizal”. Guardamos as bicicletas van e seguimos para Chilecito.
Distância total 48km. Tipo de estrada: Cascalho. 1.100 mts de subidas.
8

Dia 8: Adeus La Rioja

Partida de Chilecito rumo a Buenos Aires após o café da manhã. Parada na cidade de Patquia para aqueles que tomam um táxi para o aeroporto de La Rioja. Chegada a Buenos Aires às 23h.

Comentários da travessia

Ainda não há comentários

Deixar um comentário

Mostrar avaliações em todos os idiomas (6)

Rating