1 de setembro, 29 de setembro
Dia de saida
Salta
Destino
Avançado
Nivel de dificuldade

O Vale Calchaqui foi um corredor fértil e privilegiado que abrigou várias civilizações pré-hispânicas e coloniais que aproveitaram as excelentes condições para agricultura e criar animais. Hoje acompanha a lendária estrada 40, a mais longa e variada da Argentina, e revela infinitos tons de vermelho, a grande influência de povos nativos, história e arquitetura colonial e a excelente cozinha do norte argentino. Para conhecer a região, nada melhor que recorrer-la de bicicleta.

CIDADE SAIDA/CHEGADA Salta/ San Miguel de Tucuman, Argentina
HORA DE SAIDA 18hs em Salta
SERVIÇOS INCLUIDOS
Van de apoio e transfers durante o percurso
Traslado da mountain bike e 4×4 de apoio
Meia pensão (Café da manha e almoço incluidos. Jantar não incluido durante toda a viagem)
Sete noites de acomodação em hoteis e pousadas em base dupla e tripla
Assistência mecânica e bicicleta de reserva
Guias bilíngües com equipamento de comunicação
Seguro de primeiros socorros
Entrada nas Ruinas dos Quilmes
Equipamento de cozinha e louça para picnics
Informação diaria com notas, mapas e detalhes da região
Telefonía celular en casos de emergencia
Informação pre-viagem com a preparação necessária, o que trazer e informação detalhada do percurso
NÃO INCLUIDOS
Comidas não detalhadas no programa, refeições, bilhetes de avião e taxas de aeroporto, traslados não detalhados no programa, pecas de Bike, serviços de lavanderia e gastos pessoais
Aluguel da MTB

Informação adicional

LocalCachi, Cafayate, Colome, Molinos, Salta
Duração9 dias
DataAbril, Maio, Setembro, Outubro, Novembro

Travessia no incrível norte argentino, desde a colonial Cachi até os vinhedos de Cafayate, passando por Colome, Molinos e San Carlos.

1

Dia 1:

Encontro em Salta Capital por volta das 18hs. Transfer de Salta a  Chicoana.
2

Dia 2: Cuesta del Obispo - Cachi

Este primeiro dia começa com uma das mais emocionantes pedaladas: partimos de van pela estrada 68, passamos pela cidade de El Carril, tomamos a estrada 33 à direita e começamos a subir pela Quebrada de Escope, através de um caminho de terra, sinuoso e rodeado de muita vegetação. Logo começamos a subir a Cuesta Del Obispo, um caminho incrível que nos leva até a Piedra del Molino a 3348 metros acima do nível mar. A vista panorâmica da região é magnífica.  Preparemos as bicicletas e começamos a percorrer um dos caminhos mais isolados da província e panorâmicos do país. Na tarde chegamos a Cachi, povoado da época pré-colonial e habitado pelos índios Chicoanas, onde nos hospedamos numa pousada. No final do dia saímos para conhecer os antigos edifícios, a igreja construída no século XVIII e uma das mais belas praças do norte do país, localizada em frente ao museu arqueológico.
50 a 71km – 230mts de subidas
3

Dia 3: Seclantas a Molinos

Logo do café da manhã partimos de van até Seclantas, de onde começamos a pedalar um dos lugares mais surpreendentes da viagem: no meio de montanhas e em um local isolado e árido, encontramos uma lagoa verde, a Lagoa de Brealito. O caminho é maravilhoso: tem subidas e descidas e a paisagem é uma mistura incrível de vermelhos e laranjas. O almoço se faz em “Refugio” e logo continuamos por um caminho ainda mais estreito e técnico. Logo de fazer mais de 1000 metros de subidas e descidas, chegaremos a Molinos e ficaremos numa pousada do século XVIII.
49km e 1047mts de subidas
4

Dia 4: Molinos a Colome

O dia de hoje é completamente fora do normal! Vamos ir de bike até a “Estancia Colome” (2250mts) que fica a 19km de Molinos. Saímos de bike para Colome, a bodega em funcionamento mais antiga da Argentina com mais de cento e oitenta anos e fundada no ano 1831 por Nicolas Severo de Isasmendi e Echalar, o ultimo governador espanhol na Argentina. Não há como explicar que bonito é o local. A combinação entre a natureza, as montanhas, os vinhedos e a arquitetura da fazenda é muito bonita: http://www.bodegacolome.com/estancia/estancia.php?lang=es Deixamos as bikes para conhecer a bodega e conhecer o processo vinícola. O almoço será no restaurante da fazenda e na tarde iremos conhecer o museu “James Turrell” o museu privado da família Hess sobre o espaço e a luz: http://www.bodegacolome.com/museo/?lang=es  Uma vez acabada a visita, faremos o retorno a Molinos. 38km e 636 mts de subidas
5

Dia 5: Molinos a Finca del Carmen

Saímos de Molinos em direção a “Finca del Carmen”, um pequeno povoado fundado na metade do século XVII pedalando pela mística estrada 40, ao longo do rio Calchaqui e em plenos Vales Calchaquíes. Teremos a oportunidade de conhecer as cores da arquitetura local, a tranqüilidade da região e o ritmo de vida, tão diferentes da cidade. O almoço se faz em “Finca del carmen” e na tarde teremos tempo para fotografar, para conhecer a Igreja e museos do século XVII. 34km e 330 mts de subidas
6

Dia 6: La Quebrada de las flechas

Partindo de bicicleta de Finca del Carmen começamos a percorrer um dos caminhos mais estra-nhos e impressionantes do planeta terra, muito semelhante a uma paisagem lunar. Chama-se “Quebrada de las Flechas”, com formações diversas e aparências que transportam o viajante a outro planeta.  Logo de fazer 28 km faremos a parada de almorço e carregaremos as bikes no trailer. Chegamos a São Carlos, para fazer outra pedalada entre os vinhedos até Cafayate, famosa pelas suas bodegas de vinho.
58 km e 550mts de subidas
7

Dia 7: La Quebrada de las conchas

De Cafayate saímos bem cedo de bike para percorrer a “Quebrada de las Conchas”, região muito parecida aos canyons e formações rochosas do Colorado e Utah, nos Estados Unidos. É um lugar com forte erosão causada pelas chuvas e ventos, onde a cor vermelha da terra parece iluminar-se e mostrar todos seus segredos a cada entardecer. Há vários pontos panorâmicos com formações caprichosas que são muito interessantes para fotografar e admirar.  Este trecho de subidas, descidas e curvas constantes é feito em estrada de asfalto e o final é no “Puente Morales” onde faremos o nosso pic-nic e onde será o final da travessia. Colocamos as bicicletas na van e seguimos para Cafayate. 65km e 310mts de subidas
8

Dia 8: Adeus Cafayate

Saímos de van pela estrada 40 e após 50 km chegamos às Ruínas de los Quilmes, local onde, segundo a lenda, esse povo de mesmo nome, se agrupou, combateu e resistiu os espanhóis até o último momento.  Após visitar as ruínas, passamos por Amaicha del Valle e subimos até Las Cuestas del Infiernillo a 3200 metros, e continuamos até chegarmos a Tafi del Valle, onde fazemos nossa parada para o almoço. Traslado para a cidade de Tucuman.

Comentários da travessia

5 based on 1 review
setembro 15, 2016

Uma viagem encantadora, que nos leva às montanhas mais fascinantes de nosso continente. Pedalar pela Quebrada de las Flechas e pela Quebrada de las Conchas é como pedalar na lua. Sem contar o azul do céu, incrível! Cada dia uma paisagem diferente, uma surpresa nova. Fora tudo isso, o grupo divertido e a organização, como sempre, impecável. Mesmo sendo a única brasileira e ainda por cima, vegetariana, tudo correu muito bem.
Gracias Mariano, Dani y Juancito pelos dias tan lindos!

Deixar um comentário

Rating