13 de abril
Dia de saida
Jujuy, Salta
Destino
Avançado
Nivel de dificuldade

O norte da Argentina é uma região de contrastes e mudanças, onde o biker vai ficar deslumbrado: Salinas, minas, historia, cultura e arquitetura pre-hispanicas, subidas intermináveis, paisagens incríveis, cozinha típica, esforço físico e boas hospedagens fazem parte dessa travessia.

CIDADE SAIDA/CHEGADA Salta/ Salta
HORA DE SAIDA 18hs em Salta
SERVIÇOS INCLUIDOS
Van de apoio e transfers durante o percurso.
Traslado da mountain bike e 4×4 de apoio
Meia pensão (não incluida nos traslados de van. Jantar não incluido durante a viagem)
Sete noites de acomodação em hoteis e pousadas em base dupla e tripla
Assistência mecânica e bicicleta de reserva
Guias bilíngües com equipamento de comunicação
Seguro de primeiros socorros
Equipamento de cozinha e louça para picnics 
NÃO INCLUIDOS
Comidas não detalhadas no programa, refeições, bilhetes de avião e taxas de aeroporto, traslados não detalhados no programa, pecas de Bike, serviços de lavanderia e gastos pessoais
Aluguel da MTB

Informação adicional

LocalHumahuaca, Iruya, Purmamarca, Salta
Duração9 dias
DataAbril, Maio, Setembro, Outubro, Novembro

Travesia no incrível altiplano argentino, desde o mato subtropical até as “Salinas Grandes”, desde a llanura até 4.000 metros sobre o nivel do mar.

1

Dia 1:

Encontro em Salta Capital por volta das 18hs. Logo da chegada teremos tempo para conhecer o centro histórico e colonial da cidade
2

Dia 2: Salta - Purmamarca

Saímos de van pela antiga Rota 9 desde Salta em direção a Jujuy. Antes de chegar ao Dique Campo Alegre começa a pedalada a 1200 metros de altitude em meio de uma paisagem muito verde e diferente do resto da viagem. O roteiro do dia é maravilhoso: começamos a pedalar em subida durante os primeiros 23 quilômetros, e pouco a pouco a estrada fica cada vez mais estreita e cheia de arvores. Uma vez que chegamos ao limite entre as províncias de Salta e Jujuy começa a descida. O final da pedalada é em “La Ciénaga”, na Província de Jujuy, após 53 quilômetros. Colocamos as bicicletas no rack, almoçamos e seguimos para Purmamarca onde ficaremos duas noites. 53km e 390mts de subidas
3

Dia 3: Purmamarca a Salinas Grandes

Pela manhã, logo após o café da manhã, partimos de van para conhecer um dos lugares mais surrealistas do planeta: as Salinas Grandes. São aproximadamente 40 quilômetros de subida (Pouco mais duma hora de van) até 4.000 metros sobre o nível do mar, por uma região bastante solitária, onde podemos observar llamas e vicuñas até chegar às salinas. O caminho é simplesmente incrível. No meio da imensidade da salina, a 3.400 metros, aproveitamos o local para tirar todo tipo de fotografias. Segue o almoço, e também receberemos uma explicação sobre o processamento da sal. Na volta a Purmamarca faremos a primeira subida a 4.000 metros para começar com a adaptação. Esses oito quilômetros de subida são complicados, mas servem muito! A 4100 metros de altitude na Cuesta de Lipán, iniciamos uma incrível descida até Purmamarca. Chegando lá não pode faltar uma visita a igreja e ao mercado de artesanatos. No dia seguinte pela manhã é imprescindível tirar uma foto do “Cerro de los siete colores”.
46km e 310mts de subidas
4

Dia 4: Purmamarca a Iruya

De Purmamarca, seguimos de van até o outro lado da Quebrada de Humahuaca, passando por Tilcara, Tumbaya e Humahuaca, pela Rota 9, o lugar é declarado pela UNESCO Patrimônio Cultural e Natural da Humanidade. Logo após passarmos por Humahuaca nos desviamos para Iruya por um caminho de terra. Para aqueles mais treinados a opção 1 é começar o roteiro dali. A segunda opção é começar em “Chaupe Rodeo”.  Depois do almoço e uma vez em “Abra del Condor” a 3900 metros de altitude começamos outra fabulosa descida, por uma estrada cheia de curvas, passando também por vários povoados como Colanzuli, que se dedicam à agricultura em “terrazas” (típico dos incas) e criação de cabras, ovelhas e llamas. Tudo isso em meio a uma paisagem deslumbrante de montanhas de mais de 5.000 metros. O alojamento será em Iruya, um incrível povoado pré-colombiano com pequenas ruas muito íngremes.
43 a 55km e 420mts a 800mts de subidas
5

Dia 5: Trekking Iruya a San Isidro

Este dia será para fazer uma maravilhosa caminhada de 14 km: Saímos logo do café da manha, desde Iruya para San Isidro, um povoado a sete quilômetros de Iruya. A trilha soube bem suave e atravessamos o rio muitas vezes, olhando a maravilhosa paisagem de montanhas vermelhas. San Isidro não tem ruas nem espaço para carros e tem um pequeno mercado de artesanatos. A volta será por uma trilha muito bonita. 14km
6

Dia 6: Iruya a Humahuaca

Saímos de van desde Iruya, até o local de saída do inicio do roteiro, subindo desde 2.700 até 3.800 metros. Poucos quilômetros antes do topo na “Abra del Condor” começamos a pedalar. O trajeto tem muitas curvas, um verdadeiro zig zag, caminho a Chaupe Rodeo e Iturbe. Uma vez na Rota de asfalto continuamos pedalando até Humahuaca onde ficaremos duas noites. 54km
7

Dia 7: Humahuaca a Ocumazo

Depois do café da manha saímos em subida para o este, pela estrada de cascalho que sobe a “Abra de Zenta” e a sua incrível formação vermelha “Serrania Del Hornocal”. Depois de fazer dez quilômetros e ter chegado até 3.300 metros sobre o nível do mar, pegamos um desvio para entrar na “Quebrada de Ucumazo” que vai junto ao Rio Calete. A paisagem vermelha que recebeu séculos de erosão, o caminho cheio de curvas junto a vale verde e fértil, é o convite para desfrutar do ultimo dia da viagem. Chegamos novamente a Humahuaca, almoço, ducha e tempo livre para conhecer a cidadezinha, suas ruas e mercado de artesanais. Na tarde iremos de carro a ver a por do sol num local incrível: a “Serrania de Hornocal”.
38km e 720mts de altimetria.
8

Dia 8: Adeus Humahuaca

Depois do café da manha saímos desde Humahuaca a Salta. A viagem dura três horas.

Comentários da travessia

5 based on 2 reviews
novembro 9, 2016

Mariano, foi um privilégio poder compartilhar com vc e todos os participantes esta incrível jornada, parabéns a MTB Tours pela excelência da organização de todas as atividades, um grande abraço e até breve!
Rodrigo BIazus

novembro 14, 2016

Dss Salinas ao mato realmente é um desafio!! Pedalar nas alturas é algo desafiador aonde testamos nosso poder em cima da Bike!! A diversidade das paisagens ocorre a cada dia e são exuberantes! A compania da equipe e a gentileza do lider Mariano faz com que nos sentimos seguros e motivados! Parabéns ao Mtb Tour e aconselho sem dúvida este pedal!! Farret

Deixar um comentário

Rating